Muita coisa

Estava eu a cuscar uns blogs de gente inteligente, que pelo menos parece inteligente (neste caso A Memória Inventada) e estava lá o link para este Calendário Romano. E eu fiquei doida. É que se este menino aqui:

for padre, eu vou já aqui fingir que morro para ele me vir dar a extrema unção. Este rapaz (padre ou não) está ao nível dum George Clooney de batina. Quantas assinaturas é preciso recolher para acabar com o celibato na Igreja Católica?

Outra coisa. Aqueles emails normalmente pesadíssimos, com anexos para nos fazer pensar. Já há muito que perdi a paciência para os ditos, mas quando é de gente que, pronto, eu gosto, eu ponho-me a ver. Hoje foi um pesadíssimo, cheio de rosas, a dizer que se a gente não faz nada pela vida também não muda nada. Era mais giro, e diga-se, menos enfadonho, receber este desenho:

Nothing will ever change, if you don’t change it.

Outra coisa.

O homem da minha vida anda muito triste. Mas é que apeteceu-me comer os Mon Chéri’s que lhe ofereci, foi uma coisa que veio cá de dentro…

Anúncios

Ora beim

o tubo escape já não ronca, e sinceramente já me está a bater a nostalgia por aquele barulho ensurdecedor que fazia com que toda a gente olhasse para o meu vermelho ferrari. Estou triste pronto. Voltei a ser anónima, e estes dias de fama estavam a fazer-me uma coceguinha à barriga que upa upa.